Música com um propósito

"Se você tem o dom de fazer música, você é responsável pela mensagem que comunica e pelo poder que possui de influenciar quem aprecia o seu trabalho."
Alec Gonzales
Cantor & Produtor Musical

Dirty Swede é minha persona, uma versão amplificada de mim mesmo que dá voz a este projeto no qual busco passar a limpo minha formação musical e minhas referências de toda uma vida. Componho, arranjo e chamo os amigos para gravar. Depois, caio na estrada com quem se diverte executando a minha música e não se incomoda em abrir mão do cachê pela causa animal.

Desde o lançamento do primeiro trabalho em 2017 toda renda de streaming, direitos de sincronização, lucro da venda de merchandising e outras fontes de renda geradas pela execução do meu trabalho têm levantado fundos para ações de resgate e vêm contribuindo na manutenção de abrigos pela região, o que é um grande privilégio para mim!

Até o momento já são dois EPs lançados, com quatro faixas cada, além de três singles e uma faixa colaborativa gravada em parceria com o DJ Y’all, com uma pegada eletrônica especialmente composta para as pistas de dança. Todo o material está presente em qualquer que seja o aplicativo de streaming de preferência do ouvinte, sempre com a renda vinculada a iniciativas voltadas para o bem-estar animal.

Com a impossibilidade de fazer shows durante a pandemia, todas as faixas gravadas nesse período passaram por um pré-lançamento no Bandcamp, onde os amigos podiam degustar em primeira mão mediante doação de qualquer valor, revertida em ração e  medicamentos.

Uma fórmula mais que selvagem

No ano passado tive o provilégio de ser convidado para incluir uma música na trilha sonora do filme Fórmula Selvagem, do cineasta brasileiro Flávio Carnielli. A música escolhida foi o último single, Drowning, faixa densa e com letra melancólica que se encaixa como uma luva à trama que se passa em um país fictício da América Latina no início dos anos 80, onde um ditador demente obriga os cidadãos a participar de corridas automobilísticas mortais até a morte em nome do “bem estar da nação”.

Produzido de forma totalmente independente e em breve disponível no Sistema da Cultura de São Paulo, o filme já foi exibido lá fora nos festivais Horror Realm Con (EUA), Weekend of Fear (Alemanha), BAFICI (Argentina) e por aqui no Manaus Film Horror Festival, Festival Boca do Inferno e Mostra Crash Internacional de Cinema Fantástico. Flávio Carnielli, natural de Paulínia-SP, também é diretor dos filmes Jana Contra a Máquina do Tempo, Boneca, Eternidade e Antônia, entre diversos outros, todos eles premiados internacionalmente.

Um espaço pra falar sobre o meu trabalho

No auge da pandemia tive a honra de ser convidado pela jornalista Valéria Hein para dar uma entrevista para a CBN e inaugurar um podcast produzido por eles voltado pra acultura alternativa na Região Metropolitana de Campinas, no qual pude dar o meu recado e responde perguntas de outros radialistas, amigos músicos e produtores culturais.